Prof. JFDuran

Sou natural de Montevidéu/Uruguai. Moro no Brasil desde 1974. Leciono atualmente em Escolas da Rede Pública e em uma Escola de Educação de Surdos. Minha graduação é em Ciências – Habilitação em Matemática pela Universidade Católica de Pelotas – UCPel. Tenho três especializações: em Matemática com foco na Informática Educativa pela Universidade Federal do Rio Grande – FURG, em Educação para Surdos pela Universidade Federal de Pelotas – UFPel e em Psicopedagogia pela Universidade Integrada de Amparo e, em andamento, Especialização em Tradução/Intérprete da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS/Universidade UniCesumar/Dom Bosco. Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Pelotas, dissertação intitulada “O HOMOEROTISMO NA LITERATURA INFANTIL: análises e reflexões sobre as histórias não contadas na hora do conto“, disponível AQUI. Realizei vários cursos de formação complementar. Sou Intérprete de LIBRAS desde 2004 pela FENEIS. Como professor e pesquisador, tenho desenvolvido inúmeros projetos e trabalhos nas áreas: Educação Matemática, Didática de Matemática, Informática Educativa (montei através de um projeto o primeiro Laboratório de Informática Educativa da Rede Municipal, utilizando a Linguagem LOGO de 1995 a 2005 – com o foco nas crianças da rede estadual e municipal dos anos inicias e alunas e alunos do Curso Normal. No mesmo laboratório, construíamos sites usando o editor do NETSCAPE e depois utilizando a linguagem HTML com os alunos do Curso Normal, na formação de professores e alunos do EJA. Trabalhamos também com o GEOGEBRA. Quando os alunos construíam sites, também propus uma tentativa de educação a distância utilizando o ICQ para me comunicar com os alunos. Também desenvolvo projetos interseccionando a Matemática com a Literatura Infantil. Desde 2008 desenvolvo projetos nas escolas em que trabalho sobre Dissidências sexuais e de Gênero. Existem alguns deles postados neste site assim como outros projetos desenvolvidos por mim. O último foi o 1º Seminário: Sou Surdx, Sou LGBTI+ e agora? Página no Facebook AQUI. Em 2019, ingressei no Doutorado em Educação na Universidade Federal de Pelotas/Faculdade de Educação-RS/Brasil. Fui o idealizador do Laboratório de Estudos Surdos em Matemática – LESMA, você vai encontrar alguns materiais pesquisados nesse laboratório aqui neste site e no Facebook AQUI. Já tive várias hospedagens de sites e blogues. Hoje uso o WordPress, com hospedagem e domínio particular registrado como praticaspedagogicas. Um dos principais objetivos deste sitio é divulgar de forma interativa os projetos e trabalhos desenvolvidos como professor de Matemática do Ensino Fundamental e Ensino Médio, como professor de Didática de Matemática no Curso Normal – Habilitação Anos Iniciais e Educação Infantil e como professor em Escola Especial para Surdos. Durante minha trajetória como professor tive o privilegio e a oportunidade de realizar mutuamente inúmeras trocas teóricas e de práticas que fomentaram infinitas e produtivas discussões. Quero agradecer a todas as alunas, alunos e professores de todas as escolas que lecionei e que, de certa forma, contribuíram para meu crescimento profissional. Este espaço foi pensado para dar continuidade a esse elo de ensino-aprendizagem realizado mutuamente por todos. Foi concebido  com o intuito de transpor os limites dos muros das escolas e semear virtualmente tudo (ou quase tudo) que foi construído e pensado. Espero que seja muito útil e se necessário, deixo abaixo alguns contatos para que possamos dar continuidade a esse intercâmbio. Um forte abraço!!!

  
jfduran@praticaspedagogoicas.com.br

O documentário Lute como uma menina conta a história das meninas que participaram da ocupação de escolas  contra um projeto de reorganização escolar imposto pelo governador de São Paulo e que previa o fechamento de quase cem unidas escolares. O filme tem direção de Flávio Colombini e Beatriz Alonso, com imagens de Caio Castor, dos Jornalistas Livres e de muitos outros cinegrafistas e fotógrafos que documentaram a luta secundarista e gentilmente cederam suas imagens.